Friday, July 13, 2018

10 Dicas sobre Criatividade

Confesso que o título desse livro não me agradou."Roube como um artista", de Austin Kleon, foi muito celebrado como um excelente livro e, por isso, decidi adquirir o e-book (Steal like an Artist).

O livro já começa com uma frase de Pablo Picasso: Arte é furto. Porém, embora o título dê uma sensação negativa, e até de plágio, o livro até tem algumas 'sacadas' inspiradoras. É um livro curto e com vários subtítulos, tem dez capítulos e vou falar brevemente sobre cada um:

1. Roube como um artista: essa 'dica' trata da ideia de que nada é realmente original. Austin cita a Bíblia para exemplificar que 'Não há nada de novo debaixo do sol' (Eclesiastes 1:9). Segundo o autor, cada nova ideia é uma mistura de várias ideias antigas e ele sugere que saibamos absorver o que é bom e descartar o que achamos ruim.

2. Não espere descobrir quem você é para iniciar: Se você esperar descobrir quem você é, poderá ficar esperando sentado pelo resto da vida. Na opinião de Austin, é preciso fazer e criar, diariamente, porque somente assim alguém poderá se tornar o que deseja.

3. Escreva o livro que deseja ler, crie a arte que deseja ver, componha a música que deseja ouvir... ou seja, faça!

4. Use suas mãos: Fique longe dos dispositivos digitais. Coloque a mão na massa. A sensação de que fez algo fica mais evidente porque é física e não digital.

5. Hobbies e passatempos são importantes: Às vezes o que é um projeto secundário acaba se tornando o projeto principal. Mantenha as suas paixões, mesmo que não sejam o seu trabalho atual. Pode ser que um dia se tornem.

6. Produza qualidade e compartilhe: Tenha um blog, um site, perfis nas mídias sociais e publique lá o seu trabalho.

7. Construa seu próprio mundo: Não se preocupe se você não mora num lugar badalado. Mesmo se a sua cidade é pequena, é possível se conectar ao mundo virtualmente. Por outro lado, o lugar onde você mora também pode ter cantinhos encantadores...

8. Seja gentil - o mundo é pequeno: Faça amigos, ignore os inimigos. O mundo todo está na internet, então seja gentil com todos. Procure sempre contato com pessoas com quem possa aprender.

9. Seja entendiante: isto é, seja organizado. Cuide de si mesmo. Não contraia dívidas e não abandone seu trabalho de todo dia enquanto não puder se sustentar com sua arte.

10. Criatividade é subtração: Hoje em dia vivemos bombardeados por informação. Portanto, escolha a informação que é relevante para você e descarte o resto.

Mais uma vez, o que deduzimos é que devemos produzir arte sempre. A nossa própria arte e os estímulos externos é que vão nos ajudar a crescer em nosso trabalho e ficar a cada dia mais próximos do objetivo que desejamos. E você, o que acha? 😉




Friday, July 6, 2018

Artista: do Miserável ao Bem Sucedido


Como já mencionei, sou uma devoradora de livros, principalmente sobre arte e empreendedorismo. Acredito que a arte pode, sim, andar de mãos dadas com os negócios. Embora muitas pessoas acreditem que é fácil fazer arte, que é só 'fazer uns rabiscos numa tela', na verdade a arte começa muito antes da escolha do suporte e da técnica. Começa nos 'inputs' que vamos recebendo no dia a dia, nas influências dos mais variados tipos, na vontade do artista em deixar sua marca no mundo. E isso tem valor. É a arte que traz aquele 'algo mais' à vida rotineira de todo dia. Estamos o tempo todo rodeados de arte. Cinema, música, cores... A arte mexe com nossos sentidos e proporciona qualidade de vida.

Voltando à parte que fala de negócios no mundo da arte, um livro que me chamou a atenção e que gostei muito foi 'Starving to Successful', de J. Jason Horejs, proprietário da galeria Xanadu, nos Estados Unidos. Como ele comercializa essencialmente pintura e escultura, é importante lembrar que os conselhos dele se referem a esses tipos de arte.

Esse livro fala sobre os passos que o artista deve tomar para se tornar um artista bem sucedido.
Mas...  o que ele quer dizer com 'bem sucedido'?

Para ele, um artista bem sucedido é o que vende. Obviamente ele fala isso do ponto de vista de um comerciante de arte. Um artista pode ser bem sucedido sem vender? Certamente, pois sucesso varia de pessoa para pessoa. Depende do que se busca. Há artistas que fazem arte apenas pelo prazer de criar. É o que chamam de arte pura. Porém, como o artista geralmente busca reconhecimento, uma das formas de reconhecimento é saber que alguém valoriza tanto de seu trabalho que está disposto a pagar por ele.

Segundo Jason, há alguns requisitos essenciais para que um artista venha a ser aceito por uma galeria. Se esse é o modo pelo qual você escolheu para comercializar sua arte, vale a pena ler o livro na íntegra.

Contudo, vou falar sobre alguns pontos que ele menciona no livro. Como o objetivo do Horejs é vender, todos os clientes são chamados de colecionadores, mesmo aqueles que buscam um quadro como 'ornamento' da sala de estar.



Pontos Relevantes do Livro

✽ Uma das primeiras coisas que ele menciona é que o artista deve, desde o início de sua carreira, evitar comprar materias de qualidade inferior. Ele acredita que você não está criando somente arte, mas um produto que será vendido, e cuja qualidade deve ser superior. A obra de arte pode vir a valorizar com o tempo, e por isso um suporte (telas, papel) e as tintas, solventes, etc, devem resistir ao passar dos anos. 

✽ Com já falamos anteriormente, ele foca insistentemente que o artista produza, produza, produza... Pelo menos uma obra grande ou duas pequenas por semana. Segundo ele, no final do ano o artista teria não só um bom estoque para apresentar a um galerista, como também isso certamtente vai levar a uma maior qualidade do trabalho.

✽ Busque uma temática pela qual você seja 'apaixonado': No caso de um pintor, a sugestão é seguir sua paixão. Mesmo que a moda seja pintar cavalos, e você não gosta de animais, não vai ficar entusiasmado com esse tema. Pense: o que te emociona? Ele sugere que o artista não tente copiar outro artista, mas busque o seu próprio percurso de arte. 

✽ Evite distrações quando estiver trabalhando: desligue o celular, não fique nas mídias sociais, desconecte-se. Ele conta inclusive que uma vez enviou um email para um pintor e que ele respondeu em menos de um minuto. Que ele imaginou o pintor com o pincel numa mão e a outra no teclado. 😄 

✽ Seja consistente em seu trabalho. Não pinte diversos temas, com diversos suportes, diversos tamanhos. Tenha algo que faça os outros reconhecerem uma obra como sua. Busque um estilo.

✽ Comece seu inventário desde a primeira pintura/escultura. Fica mais fácil encontrar uma obra, informar o título, as dimensões, a data em que foi criada, e o que mais for relevante. O autor aconselha utilizar algum software que permita criar um inventário digital. 

✽ Escreva sua biografia e o que lhe motiva a criar sua arte. É o que chamam de 'Art Statement'. Escreva um texto falando sobre a temática, qual a razão de você pintar sobre esse assunto, como você começou sua carreira, seu estilo, sua técnica, materiais, formação, se trabalha em alguma associação de modo voluntário, etc.

✽ Crie um portfolio: Jason comenta que prefere receber os portfolios 'físicos', pois eles o obrigam a pelo menos dar uma olhadinha. Links e CDs geralmente acabam sendo ignorados por ele. Por outro lado, acha fundamental que o artista tenha seu próprio website, pois isso demonstra que ele é profissional. 







Friday, June 29, 2018

Ilustração - Definindo Valores



Muita gente me escreve perguntando sobre os valores que podem cobrar por suas ilustrações. Isso realmente é um assunto delicado. A cada dia tem ficado mais difícil definir um preço. Cada cliente é diferente e nem todos podem pagar o mesmo valor. Como membro da SIB - Sociedade dos Ilustradores do Brasil, participo de um fórum e estamos sempre discutindo o quanto cobrar. Portanto, apesar de termos ideias comuns a respeito, os valores variam.

O valor de uma ilustração depende de vários fatores, alguns objetivos e outros subjetivos. Dentre eles, podemos exemplificar:

. Dimensões: Tomando como referência uma página A4, com certeza uma ilustração de uma página inteira custará bem mais que uma vinheta. E é justificável que uma ilustração de página dupla tenha um valor bem maior que uma ilustração de uma só página.

. Estilo: a ilustração é científica, publicitária, caricatura, cartoon ou oriental? Ilustrar partes do corpo humano para um livro científico pode ser bem mais trabalhoso do que uma tirinha de 3 quadrinhos.

. Acabamento: traço, preto e branco ou colorida? Digital ou artística?

. Complexidade: muitos personagens, muitos detalhes?

. Tiragem ou circulação: será para o jornalzinho do bairro ou para uma revista de grande circulação? Seu cliente usará em quantos produtos?

. Responsabilidade: a ilustração pode vir a ofender alguém ou é sobre algum tema polêmico?

. Arte-final: você vai permitir muitas alterações ou o cliente aceitará a primeira ilustração que você fizer sem objeções?

. Experiência (e até a fama) do ilustrador;

. Se há concorrentes ou o ilustrador é um dos poucos que faz o tipo de ilustração que o cliente deseja;

. Urgência do trabalho;

. Será veiculado em território nacional ou internacional?

Além disso, você deve sentir se o cliente está querendo mesmo trabalhar com você ou se contactou  vários ilustradores ao mesmo tempo, a fim de conseguir o menor preço. Outra sugestão seria perguntar qual é o orçamento que ele tem para o projeto, pois às vezes é até maior que o valor que você pensava em orçar. 😄

Alguns ilustradores iniciantes me perguntam se deveriam começar com um valor mais baixo para conseguir mais clientes. O problema é que isso pode render a eles a fama de que cobram 'baratinho' e o cliente não valorizar o trabalho deles. Também é bom lembrar o velho ditado: 'comece como quer continuar'. Além disso, baixar muito o preço para concorrer com outros ilustradores pode vir a desvalorizar cada vez mais a nossa profissão. Mais uma dica: se você acha que está cobrando pouco por seu trabalho e se sente até mesmo explorado, é porque definiu o seu valor muito baixo mesmo.

De qualquer forma, o importante é nunca trabalhar sem fazer um contrato. O contrato é a sua garantia. Se precisar de alguma informação a mais sobre contratos e valores, entre em contato. 😉